PROJETOS
Projetos

PROJETO INDÍGENAS ARTESÃOS EM MARINGÁ

A ASSINDI desde o ano 2000 oferece aos indígenas artesãos da etnia Kaingang, provenientes na Terra Indígena Ivaí localizada no município de Manoel Ribas – PR, atendimento socioassistencial de defesa, assessoramento e garantia de direitos. Para isto, a entidade oferta-lhes abrigo, vestimentas, alimentação e realiza encaminhamentos para demais serviços como os de saúde, cursos profissionalizantes, de qualificação do artesanato, entre outros.

Para a realização deste serviço a ASSINDI conta com uma parceria com o município de Maringá através da Secretaria de Assistência Social e Cidadania – SASC pelo Edital de Inexigibilidade; além disso, contamos também com o repasse mensal de 60 cestas básicas da Igreja Nossa Senhora da Glória (Catedral). Estas parcerias representam 50% do orçamento da ASSINDI para o atendimento à população Kaingang.

PROJETO INDÍGENAS UNIVERSITÁRIOS

Em 2003, a entidade ampliou seu atendimento aos indígenas, como resposta a nova demanda apresentada, os indígenas estudantes universitários, aprovados em vestibular específico, conforme a Lei nº 13.134 de 18 de abril de 2001, que previa a obrigatoriedade da abertura de três vagas para o ingresso de indígenas, através dos vestibulares nas universidades públicas do estado do Paraná com ampliação para seis vagas, segundo a Lei nº 14.995 de 09 de janeiro de 2006.

Para este projeto, a ASSINDI conta cinco casas:

  1. Casa Kaingang: construída com recurso da Campanha da Fraternidade em 2002 “Por uma Terra Sem Males”;
  2. Casa Guarani: construída com recurso do Fundo Canadá;
  3. Casa Haida: construída com recurso do Fundo Canadá;
  4. Casa São Francisco: construída com recurso da Ordem Franciscana na Itália;
  5. Construída com recurso da comunidade brasileira em Hamamatsu no Japão e o Movimento Ecumênico de Maringá.

O projeto destinado aos indígenas universitários não possui um mantenedor, por isso ele limita-se às ações necessárias para que eles possam ter acesso aos direitos sociais e desenvolver sua autonomia e protagonismo, desde o período de adaptação na vida urbana e acadêmica até o término da graduação.

CENTRO SOCIAL INDÍGENA MITANHUE NHIRI

Este projeto teve início em 2012 e destina-se às crianças e adolescentes indígenas filhos de artesãos ou universitários das etnias Guarani e Kaingang cujo objetivo é a promoção de espaço de convívio para as crianças e adolescentes indígenas através da realização de atividades lúdicas, de recreação, de valorização cultural, atividades socioeducativas, de cuidados com a saúde, realização de oficinas, além da oferta de alojamento e alimentação como forma de complementação de ações de proteção, prevenção e redução da exposição das mesmas às situações de vulnerabilidade e risco pessoal e social.

Este projeto foi iniciativa vencedora do Prêmio Criança realizado Fundação Abrinq em 2014.

PROJETO INTERAÇÃO

Esta ação tem como público alvo as escolas públicas e privadas de Maringá e região e visa promover a interação entre indígenas e não indígenas por meio de palestras informativas com o intuito de romper com a visão ultrapassada que se tem dos povos indígenas e que, consequentemente, acarreta na disseminação de preconceito e discriminação étnico racial. Este projeto busca atender a Lei nº 11.645/08 que torna obrigatório o ensino de história e cultura afro-brasileira e indígena em instituições de ensino fundamental e médio.

Essas visitas devem ser agendadas previamente via email ou telefone e acontecem uma vez na semana.